Arquivo Morto‎ > ‎

Grupo conservador planeja programa de educação Anti-climática

postado em 19 de fev de 2012 09:02 por Adilson Siqueira   [ atualizado em 2 de mai de 2016 12:39 por Assessoria Comunicação ]


Credit: Reto Stockli, NASA Earth Observatory

Segundo a revista Scientific American em sua edição de 15 de fevereiro, o  conservador e direitista Heartland Institute  (que nos anos 1990 trabalhou com a Phillip Morris no questionamento das evidencias científicas que provavam os malefícios do cigarro nos fumantes passivos - Cf.: http://en.wikipedia.org/wiki/The_Heartland_Institute ) planeja criar material educacional a ser enviado para as escolas com o objetivo de promover confusão e desafiar as informações científicas sobre mudança climática.

A ideia é criar um currículo sobre o clima, composto na forma de módulos, cada qual com o objetivo de injetar ceticismo quanto ao consenso cientifico sobre a mudança climáticas módulos falam coisas do tipo: "se a Humanidade está mudando o clima é uma grande controvérsia,  pois os modelos usados para provar as várias hipóteses sobre como o clima funciona tem sua credibilidade questionada (ex. o Taco de  Polo) ou que a poluição causada pelo CO2 é controversa.

Estas informações fazem parte de um documento oficial do Heartland Institute vazadas para o desmogblog.com.

Ainda que as afirmações contidas no documento não sejam cientificamente erradas, percebe-se o claro objetivo de deliberadamente criar controvérsia. Na verdade, a questão é política.  Como diz o climatologista da Universidade do Estado da Pennsylvania, Michael Mann:  "Estes documentos são surpreendentes e revelam o que muitos de nós já suspeitávamos: que há uma campanha em progresso feita por grupos diretamente financiados pela indústria do combustível fóssil e por fundações da direita conservadora e reacionária, como por exemplo as Industrias  Koch (Info http://en.wikipedia.org/wiki/Koch_Industries ), com o objetivo de  confundir a opiniao publica sobre a mudança climática".

O documento revela a lista dos doadores do Instituto, na qual aparecem, por exemplo, a Charles G. Koch Charitable Foundation (criada pelas Indústrias Koch, do bilionário Charles G. Koch), a Altria (companhia filiada a  Philip Morris)  a Microsoft e a gigante farmacêutica  Eli Lilly, e soma 13 milhões de dólares.

No caso específico de seu "projeto educativo" o Instituto recebeu doações de vozes céticas em relação à mudança climática como, por exemplo:  Center for the Study of Carbon Dioxide and Global Change (US$11,600 mensais), do físico Fred Singer (US$5,000 mensais mais custos, ), do geólogo neozelandês Robert Carter ($1,667) além de US$ 100.000 de um doador anônimo,  mensais entre outros.

 Ou seja, muito dinheiro pra criar controvérsia. O objetivo disso a gente pode imaginar.

Por isso que acredito no projeto Jogo da Arte e da Sustentabilidade na educação básica. É uma forma poética, lúdica e estética de resistência estratégia e de tática, ainda que não milionária como a da direita ultraconservadora, mas que até por isso é uma das linhas de atuação do Grupo Transdisciplinar.

Comments